Sex, 23 de Fevereiro de 2018

Sustentabilidade

Transporte

O respeito ao meio ambiente e a busca de solues para reduzir os impactos ambientais do transporte coletivo fazem parte da trajetria do sistema de transporte urbano de Curitiba. Conhea as experincias, os resultados e os projetos em andamento.

A qualidade do ar uma das grandes preocupaes do mundo atual e um dos principais componentes da qualidade de vida dos cidados, uma vez que a emisso de poluentes na camada atmosfrica pode provocar danos no s sade, mas prejudicar a sustentabilidade do planeta. Neste sentido, qualquer ao que tenha como objetivo diminuir os impactos sobre a qualidade do ar de grande importncia para a cidade.

A atuao da URBS junto s empresas operadoras, com o objetivo de controlar as emisses de poluentes, se d atravs de testes de opacidade previamente programados, visando uma regulagem correta dos motores dos nibus do Transporte Coletivo da Rede Integrada de Transporte (RIT).

Em 2012, foram realizados em torno de 6000 testes de opacidade nos veculos da frota da RIT. Com os respectivos testes, conseguiu-se mensurar uma reduo de opacidade prximo de 60%, se comparada mdia dos limites estipulados pela legislao nacional.

Ainda, em paralelo aos testes de fumaa, a URBS, buscando a preservao do meio ambiente, bem como a segurana dos usurios e as boas condies dos nibus da frota, realiza inspees semestrais em todos os veculos da RIT, nas quais so vistoriados vrios itens, entre eles, o estado de conservao dos motores, contemplando a eliminao de vazamentos de leo e de eventuais rudos excessivos.

Medio de fumaa no escapamento

As redues ambientais nos programas Biodiesel B-20 e MAD8, foram de 35% e 32% respectivamente, constatadas a partir do ndice de opacidade. Os resultados ambientais da utilizao de combustveis alternativos ao diesel so significativos e contribuem para a melhoria da qualidade do ar, principalmente nas grandes capitais do Brasil, onde os sistemas de transporte coletivo so ainda, em grande parte, operados por nibus. Estas alternativas produzem tambm impacto social, uma vez que o Brasil um dos maiores produtores de soja e lcool, e o incremento do uso destes combustveis alternativos provoca gerao de empregos, especialmente no campo.

Projeto Biodiesel B100

No ano de 2009, coordenado pela URBS S/A, a cidade passou a utilizar, em parte de sua frota de nibus, o B100 de origem 100% vegetal contribuindo para a reduo da emisso de poluentes na atmosfera, caracterizando um grande avano para a sade do planeta. Em uma iniciativa indita, os 06 (seis) primeiros nibus urbanos do pas passaram a operar no transporte coletivo utilizando apenas biodiesel - B100, na Linha Verde 6 corredor de transporte implantado em Curitiba. Com este programa, Curitiba tornou-se a primeira capital na Amrica Latina a utilizar em parte de sua frota de nibus o Biodiesel B100, que contribuiu significativamente para a reduo das emisses de poluentes na atmosfera, caracterizando um grande avano para a sade do planeta.

A experincia do B100, combustvel produzido integralmente a partir de soja, sem mistura de leo diesel, foi feita a partir da assinatura do Acordo de Cooperao para Pesquisa Tcnica de Uso do Biocombustvel em nibus Urbanos, com parceria da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, das empresas operadoras do transporte Viao Cidade Sorriso e Auto Viao Redentor, das montadoras Scania Latina America e Volvo do Brasil, do Instituto Tecnolgico do Paran (Tecpar), e do Programa Brasileiro de Desenvolvimento Tecnolgico e Combustvel (Probiodiesel), empresa de fomento e pesquisa tecnolgica. Tambm integram esta parceria a fabricante do biocombustvel BSBios Indstria e Comrcio de Biodiesel Brasil Sul S/A e a RDP Distribuidora de Petrleo Ltda, responsvel pelo transporte do biocombustvel.

Com base nos testes realizados em dinammetro, constatou-se que os veculos que operaram com B100 apresentaram reduo de 25% nos ndices de opacidade e 30% nos ndices de emisses de monxido de carbono, comparados aos demais nibus que trafegam no corredor da Linha Verde e que operavam com uma mistura de diesel e 4% de biodiesel. J nos testes realizados em campo, foi constatada reduo de 67,74% dos ndices de opacidade (fumaa).

Face aos resultados apresentados, comprovando o sucesso do projeto coordenado pela URBS, em 2010 esta empresa solicitou autorizao da Agncia Nacional de Petrleo ANP para aumentar o volume de biodiesel B100 de 10.000 mil litros/ms/empresa, para 50.000 mil litros/ms/empresa e, conseqentemente, aumentar a quilometragem mensal percorrida pelos 6 nibus, de 2.500 km/ms para 8.500 km/ms. Em 2011, novamente solicitou-se ANP, uma expanso no volume consumido de biodiesel, passando de 100.000 litros/ms para 270.000 litros/ms.

Em 2013 a frota de nibus que opera com biodiesel B100 na cidade de Curitiba totaliza 34 veculos, sendo 26 biarticulados, 6 articulados e 2 padrons (hbridos), os quais esto percorrendo uma quilometragem de 228.499,91 mil km/ms e consumindo aproximadamente 191.147,95 mil litros/ms de biodiesel B100.

HIBRIBUS:

Na rea de transporte, o ano de 2012 foi novamente marcado pela inovao, no que se refere reduo de emisso de poluentes no transporte coletivo. Na Conferncia Rio+20 a cidade apresentou o nibus hbrido que mais um avano na trajetria pioneira da capital paranaense de utilizao de energia limpa no transporte coletivo. O Hbrido, como ele chamado, movido eletricidade e biodiesel e, no ms de setembro/2012, j entrou em operao, substituindo 10 (dez) veculos da frota da Linha Interbairros I nos dois sentidos.

Os 2 (dois) motores funcionam em paralelo e, se comparada frota substituda com motores Euro III - a frota de Hbridos significar uma reduo de 89% na emisso de material particulado, 80% de xido de nitrognio (NOX) e  35% de CO2, alm da reduo de consumo de at 35% de combustvel.