Notícias

Mudança na política para táxis pode ser vista nas ruas

SMCS

| 12/5/2016

As alterações na regulamentação do serviço de táxi, ampliando a qualidade do atendimento ao usuário e buscando maior valorização do taxista, representam, na prática, uma nova atualização na política de modernização do sistema adotada a partir de 2013.

Estagnado ao longo de 40 anos, o serviço de táxi de Curitiba requeria melhorias que deveriam passar inevitavelmente pela ampliação da frota, uma antiga e nunca atendida reivindicação da população. Do primeiro passo – a realização, em julho de 2013, da primeira audiência pública com taxistas – até os avanços definidos no decreto assinado nesta quinta-feira (12), muita coisa mudou.

A frota, que desde 1975 era de 2.252 táxis, passou a 3.002 em 2014. A categoria dos taxistas passou a ter participação efetiva nas decisões para o setor, uma prática que começou com a audiência pública que reuniu quase 2,5 mil taxistas em 2013 e vem se mantendo com reuniões e encontros com representantes da categoria para discussão de medidas a serem adotadas.

O aumento da frota foi feito por licitação – a primeira licitação para o serviço de táxi da história de Curitiba. Feita com total transparência, a licitação se destacou por seu cunho social ao definir a classificação por critérios técnicos e não financeiros, e por criar a categoria de táxi especial e especial compartilhado.

Desta vez, a licitação não foi pela maior oferta – o valor de outorga, equivalente a 500 quilômetros, era igual para todos – mas pelo tempo de experiência e proposta técnica, o que permitiu a participação de taxistas que até então atuavam como colaboradores de permissionários.

Pela primeira vez, também, foi criada a categoria de táxi especial – com carros adaptados para motoristas com deficiência; e táxi especial compartilhado, com veículos adaptados para transporte com conforto e dignidade de pessoas com deficiência.

Permissões x autorizações

Outro avanço significativo foi a criação de um regime único que transformou os antigos permissionários em autorizatários, dentro das mesmas normas e regulamentos dos taxistas que participaram da licitação. A diferença essencial (até então vista como impedimento à ampliação da frota) foi a adaptação do serviço às exigências da legislação atual, que estabelece definição de prazos para concessão do poder público.

As antigas permissões não previam prazo, o que alimentava um mercado clandestino de placas de táxi. Com o novo regime todos estão autorizados a explorar o serviço pelo prazo de 35 anos podendo, neste período, fazer uma única transferência. O beneficiado pela transferência terá que cumprir todo o prazo ou devolver a concessão que, então, será licitada. Para igualar todos os taxistas, a Prefeitura abriu um recadastramento e, ao se recadastrar, o taxista passava de permissionário a autorizatário, dentro das novas normas.

Também buscando a melhoria do serviço, o município viabilizou, numa parceria com a montadora chinesa BYD, a utilização, ao longo do ano passado, de dois táxis elétricos. Os resultados estão sendo avaliados pela equipe técnica da Urbs para possível inclusão de carro elétrico na frota de táxi da cidade. Outra alteração, foi a autorização para instalação de equipamento que permite o transporte de bicicleta, o que já é feito por mais de 50 taxistas.

Outra grande reivindicação da categoria foi atendida na semana passada quando o prefeito Gustavo Fruet sancionou lei que cria multa administrativa de R$ 1,7 mil para motorista flagrado fazendo transporte comercial irregular de passageiros. A nova multa pode ser aplicada sem prejuízo às penalidades previstas no Código de Trânsito Brasileiro, inclusive com perda de pontos na carteira.


Confira os avanços recentes no sistema de táxi de Curitiba

COMO ERA                                                                           COMO FICOU

2.252 táxis                                                                              3.002 táxis

Permissões não licitadas                                                        Autorização só com licitação pública

Táxis parados                                                                         Táxi é obrigado a operar, no mínimo, 12                                                                                                horas por dia.

Táxis que não atendiam no horário de pico                            Horários de pico definidos em decreto e                                                                                                 100% da frota deve estar em operação

Baixa acessibilidade                                                                Táxis adaptados para pessoas com                                                                                                      deficiência

Motoristas com deficiência sem acesso                                   Criada categoria que permite                                                                                                                 táxi adaptado para motorista com                                                                                                           deficiência

Permissionário terceirizava o trabalho                                     Autorizatário é obrigado a dirigir o                                                                                                         próprio táxi no mínimo quatro horas                                                                                                       por dia

Permissões sem prazo                                                            Autorizações com prazo definido –                                                                                                        35 anos com uma única transferência

Táxi como investimento - incentivo ao mercado clandestino    Táxi como ferramenta de trabalho,                                                                                                          desistimulando mercado irregular                                                                                                          de placas

Categoria: Táxi

Arquivos

Julho 2020
Junho 2020
Maio 2020
Abril 2020
Março 2020
Fevereiro 2020
Janeiro 2020
Dezembro 2019
Novembro 2019
Outubro 2019
Setembro 2019
Agosto 2019
Julho 2019
Junho 2019
Maio 2019
Abril 2019
Março 2019
Fevereiro 2019
Janeiro 2019
Dezembro 2018
Novembro 2018
Outubro 2018
Setembro 2018
Agosto 2018
Julho 2018
Junho 2018
Maio 2018
Abril 2018
Março 2018
Fevereiro 2018
Janeiro 2018
Dezembro 2017
Novembro 2017
Outubro 2017
Setembro 2017
Agosto 2017
Julho 2017
Junho 2017
Maio 2017
Abril 2017
Março 2017
Fevereiro 2017
Janeiro 2017
Dezembro 2016
Novembro 2016
Junho 2016
Maio 2016
Abril 2016
Março 2016
Fevereiro 2016
Janeiro 2016
Dezembro 2015
Novembro 2015
Outubro 2015
Setembro 2015
Agosto 2015
Julho 2015
Junho 2015
Maio 2015
Abril 2015
Março 2015
Fevereiro 2015
Janeiro 2015
Dezembro 2014
Novembro 2014
Outubro 2014
Setembro 2014
Agosto 2014
Julho 2014
Junho 2014
Maio 2014
Abril 2014
Março 2014
Fevereiro 2014
Janeiro 2014
Dezembro 2013
Novembro 2013
Outubro 2013
Setembro 2013
Agosto 2013
Julho 2013
Junho 2013
Maio 2013
Abril 2013
Março 2013
Fevereiro 2013
Janeiro 2013
Dezembro 2012
Novembro 2012
Outubro 2012
Setembro 2012
Agosto 2012
Julho 2012