Seg, 25 de Setembro de 2017

Notícias

Espaço representou mudança na postura de uso da Praça Rui Barbosa

Pedro Ribas/SMCS

| 15/5/2017

A construção da Rua da Cidadania Matriz, que completa 20 anos nesta segunda-feira (15/5), representou uma mudança mais profunda de postura de uso da Praça Rui Barbosa.

A praça precisava ser reorganizada para atender melhor a estrutura de transporte público, organizar e abrigar o comércio ambulante que atravancava o entorno e também ser sede de uma série de serviços públicos da Administração Regional.

"Criamos uma grande praça coberta, que evoca o Grand Palais de Paris”" conta o prefeito Rafael Greca, em cuja primeira gestão o projeto foi desenvolvido. "É um espaço bonito, onde, à sombra e longe da chuva, os curitibanos se encontram."

O edifício foi inaugurado em 1997, cinco meses depois do encerramento da gestão (1993-1996) durante a qual foram construídas outras cinco Ruas da Cidadania em Curitiba (Boqueirão, Pinheirinho, Portão, Boa Vista e Santa Felicidade).

Hoje, abriga 350 quiosques no espaço interno, numa feira permanente, e 54 lojas, voltadas para as ruas externas.

Mudanças

Autor do projeto, Reginaldo Reinert, atual presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), foi responsável pelo projeto arquitetônico da Rua.

Ele lembra que a Rui Barbosa historicamente foi um ponto de entrada para a região central dos moradores vindos dos bairros, especialmente da região sul da cidade. "A praça sempre teve ligação muito forte com o transporte", afirma Reinert. "No começo, de maneira mais informal; depois, mais estruturante. A praça teve várias transformações ao longo do tempo."

Há 20 anos, os ônibus biarticulados ganhavam terreno no transporte da capital. Maiores, precisavam de espaço adequado para suas manobras para embarque e desembarque de passageiros. Linhas com ônibus menores também precisavam ser mais bem abrigadas no vaivém nos pontos.

Os espaços e vias da praça foram readequados com este fim – a fonte, por exemplo, mudou de lugar.

Camelôs organizados

Outro problema era organizar o comércio dos ambulantes que ocupavam parte da área. Eles foram instalados dentro da Rua da Cidadania, um espaço coberto. Com isso, a barafunda de barracas espalhadas virou espaço mais livre para circulação livre de pedestres, e o comércio, organizado.

"A ideia original era dar espaço aos empreendedores, muitos em seu primeiro negócio", lembra Reinert.

"O prédio foi pensado para distribuir todos os serviços municipais, para atendimento à população, e atendeu também a uma série de demandas desse conjunto de mudanças na área", resume o presidente do Ippuc.

Categoria: Outros

Arquivos

Setembro 2017
Agosto 2017
Julho 2017
Junho 2017
Maio 2017
Abril 2017
Março 2017
Fevereiro 2017
Janeiro 2017
Dezembro 2016
Novembro 2016
Junho 2016
Maio 2016
Abril 2016
Março 2016
Fevereiro 2016
Janeiro 2016
Dezembro 2015
Novembro 2015
Outubro 2015
Setembro 2015
Agosto 2015
Julho 2015
Junho 2015
Maio 2015
Abril 2015
Março 2015
Fevereiro 2015
Janeiro 2015
Dezembro 2014
Novembro 2014
Outubro 2014
Setembro 2014
Agosto 2014
Julho 2014
Junho 2014
Maio 2014
Abril 2014
Março 2014
Fevereiro 2014
Janeiro 2014
Dezembro 2013
Novembro 2013
Outubro 2013
Setembro 2013
Agosto 2013
Julho 2013
Junho 2013
Maio 2013
Abril 2013
Março 2013
Fevereiro 2013
Janeiro 2013
Dezembro 2012
Novembro 2012
Outubro 2012
Setembro 2012
Agosto 2012
Julho 2012