Notícias

Com grande participação, audiência debate aumento da frota de táxis

Cesar Brustolin/SMCS

| 5/7/2013

Dois salões e parte do pátio do Salão de Atos do Parque Barigui ficaram lotados na noite desta quinta-feira (4), para a audiência pública realizada pela Urbs para debater o aumento da frota de táxi em Curitiba. Nada menos do que 1.250 pessoas assinaram a lista de presença – além de um grande número de participantes que não chegaram a registrar presença. A audiência foi marcada por ampla liberdade de manifestação: todos os inscritos para falar foram chamados ao microfone.

Trinta e oito pessoas inscreveram-se para falar durante a audiência. Cada um teve cinco minutos para expor seu ponto de vista. Outros 265 participantes encaminharam por escrito sugestões e perguntas, cujas respostas serão publicadas posteriormente neste site. Até as 18 horas da próxima segunda-feira (8) ainda será possível encaminhar sugestões, críticas e pedidos de esclarecimento de dúvidas por e-mail, para o endereço audienciataxi@urbs.curitiba.pr.gov.br.

Tendo como mediador o secretário municipal de Relações com a Comunidade, Caíque Ferrante, a audiência, que seria encerrada às 21h30, foi prorrogada em 30 minutos. Mesmo depois do encerramento, às 22 horas, vários taxistas permaneceram no auditório conversando com técnicos, diretores e com presidente da Urbs, Roberto Gregório da Silva Junior, por pelo menos mais meia hora.

O encontro foi marcado pela defesa unânime do aumento da frota de táxis, pela expectativa dos taxistas diante da possibilidade aberta com a licitação de mais 750 autorizações e pelo fato de ter sido uma oportunidade de se manifestar, há muito esperada pela categoria. “Foi muito válido. Há anos não tínhamos uma oportunidade de falar como tivemos nessa noite” afirmou, ao final do encontro, o taxista Ademir Vieira, que é condutor.

Luiz Adriano, também taxista condutor e que permaneceu no auditório depois da audiência para conversar com o presidente da Urbs, viu a audiência como uma boa oportunidade de manifestação dos taxistas.  “Isso tudo é de real interesse da categoria, uma oportunidade até mesmo de desabafo”, disse.

Foi o que vários taxistas que usaram a palavra deixaram claro em seus depoimentos. "Há 17 anos espero para falar", disse Adilson Rosa, que pediu mais segurança e, como a maioria dos que se manifestaram, questionou a relação com os permissionários (donos de táxis). "Até a gestão passada vivíamos em 1887, um ano antes da proclamação da Lei Áurea. Que este 4 de julho fique marcado como o dia da nossa liberdade", disse Abimael Gomes, presidente do Sinditáxi que, como vários outros, pediu a licitação também das permissões atuais.

Embora unânimes quanto à necessidade de ampliação da frota, os taxistas também mostraram que há divergências entre os vários grupos que agregam os profissionais da área. Os que falaram ao microfone recebiam tanto aplausos entusiasmados quanto manifestações de repúdio.

Diálogo

Ao encerrar a audiência, o presidente da Urbs contou que já se reuniu, nos últimos meses, com mais de 100 profissionais do serviço de táxi, definindo a realização da audiência para que mais pessoas pudessem se manifestar.  "Os depoimentos mostram há quanto tempo as pessoas esperam a oportunidade de falar. E nos dispusemos a vir aqui, de forma franca, para ouvir as sugestões e as críticas, algo que não tínhamos antes. Temos que aprender a escutar pontos de vista divergentes, ouvir as críticas com atenção para podermos melhorar o atendimento à comunidade. É isso que estamos fazendo, uma nova forma de gestão. Viemos a esta audiência sem nada definido. Viemos para ouvir", disse ele.

Depois de agradecer às equipes da Urbs que atuaram na organização e realização da audiência, ao secretário Caíque Ferrante e ao presidente do Ippuc, Sergio Pires, membro do Conselho de Administração da Urbs, Gregório pediu uma salva de palmas para os participantes. "Vocês que abriram mão de algumas horas de trabalho, do descanso, do lazer para estar aqui, merecem uma grande salva de palmas porque este é um processo de construção coletiva de soluções para nossa cidade", disse ele.

Gregório destacou as três diretrizes que pautam o trabalho da atual administração municipal: diálogo, transparência e responsabilidade no trato do bem público. A audiência, disse ele, ampliou o diálogo com o segamento e mostrou a forma transparente com que a questão do táxi vem sendo tratada. "Estamos ouvindo a comunidade para dar início a um processo de licitação que permita que a cidade seja melhor atendida", afirmou.

 

Categoria: Táxi

Arquivos

Julho 2020
Junho 2020
Maio 2020
Abril 2020
Março 2020
Fevereiro 2020
Janeiro 2020
Dezembro 2019
Novembro 2019
Outubro 2019
Setembro 2019
Agosto 2019
Julho 2019
Junho 2019
Maio 2019
Abril 2019
Março 2019
Fevereiro 2019
Janeiro 2019
Dezembro 2018
Novembro 2018
Outubro 2018
Setembro 2018
Agosto 2018
Julho 2018
Junho 2018
Maio 2018
Abril 2018
Março 2018
Fevereiro 2018
Janeiro 2018
Dezembro 2017
Novembro 2017
Outubro 2017
Setembro 2017
Agosto 2017
Julho 2017
Junho 2017
Maio 2017
Abril 2017
Março 2017
Fevereiro 2017
Janeiro 2017
Dezembro 2016
Novembro 2016
Junho 2016
Maio 2016
Abril 2016
Março 2016
Fevereiro 2016
Janeiro 2016
Dezembro 2015
Novembro 2015
Outubro 2015
Setembro 2015
Agosto 2015
Julho 2015
Junho 2015
Maio 2015
Abril 2015
Março 2015
Fevereiro 2015
Janeiro 2015
Dezembro 2014
Novembro 2014
Outubro 2014
Setembro 2014
Agosto 2014
Julho 2014
Junho 2014
Maio 2014
Abril 2014
Março 2014
Fevereiro 2014
Janeiro 2014
Dezembro 2013
Novembro 2013
Outubro 2013
Setembro 2013
Agosto 2013
Julho 2013
Junho 2013
Maio 2013
Abril 2013
Março 2013
Fevereiro 2013
Janeiro 2013
Dezembro 2012
Novembro 2012
Outubro 2012
Setembro 2012
Agosto 2012
Julho 2012